blackblack

Só existem "vendedores de drogas, porque existem compradores de droga!!

Cronologia do Golpe!

Haddad neles!

Haddad neles!

Ao acessar este blog, faça seu cadastro!

REGISTRO DE JORNALISTA SEM DIPLOMA



 Jornalista com Base na Decisão do STF

Procurar a Delegacia Regional do Trabalho em sua cidade.

Documentação necessária

 RG

 CPF

 PIS

 Carteira de Trabalho

 Comprovante de Endereço

Apresente cópia de seu trabalho jornalístico.

Eu, por exemplo, imprimi o material de meu blog www.nossaanistia.com 

Para isso cliquei com o botão direito do mouse, sobre o blog na tela e mandei imprimir.

Anexei ao processo.

Junto com os documentos e as cópias de seu trabalho jornalístico (no meu caso o blog) preenchi um formulário, na hora, à mão e entreguei.

Leve todos os documentos originais, com cópia.

Da carteira profissional tire cópia do espelho(onde está a foto) e da parte de trás do espelho (nome, filiação, etc)

A carteira profissional deverá ficar lá e eles marcam o dia para voltar e pegá-la com o registro (vide a foto de meu registro)


No Rio, Dirija-se a Rua Evaristo da Veiga, 16/17º andar.


Centro. Rio de Janeiro  CEP 20031-040
Telefone: 21 3906-2450 / 21 9278-2137   Fax: 21 3906-2463 Sede do sindicato no Município do Rio levando os documentos e o registro em carteira (original e cópia). Preencher o formulário, pagar a carteira e a taxa inicial e você terá a carteira como a minha. Eu pago uma anuidade, mas se quiser, pague mensalmente ao sindicato.

Se o sindicato dos jornalista de sua cidade não queira  aceitar sua filiação

Aqui vou relatar como eu fiz aqui no Rio;

Primeiro fui a sede do sindicato, onde recusaram a minha filiação, alegando que havia uma decisão da FENAJ (Federação Nacional do Jornalistas) em só filiar quem tinha diploma.

 

Fui para casa e encaminhei e-mail relatando o ocorrido. Recebi como resposta o óbvio, que deveria ter diploma. Retruquei que a Decisão do STF era soberana. Reiteraram que não era possível.

 

Então, acessei o site do MP do Ministério aqui no Rio, e abri um processo on line contando o ocorrido e solicitando a intervenção deles para que o sindicato me aceitasse.

 

Houve um citação. Compareceram os advogados do sindicato e uma conciliadora nos recebeu.

 

Ela entendeu que o sindicato nada podia fazer.

 

Recorri e o MP reconheceu o meu direito, determinando que o sindicato me filiasse, abrindo um livro específico para o Jornalista do MTE.

 

Posteriormente a nova Presidenta do Sindicato, à época me contou que o MP a procurou e ela disse que não foi na gestão dela que houve a recusa e que acataria a decisão do MP.

 

Ai está a minha carteira, com registro no sindicato.

Agora é de carteirinha!

Não desista, só consegue quem luta!

 

Veja aqui como foi a votação sobre exigência do diploma de jornalista

Por 8 a 1, o STF (Supremo Tribunal Federal) derrubou hoje a obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão de jornalista. Só o ministro Marco Aurélio Mello votou pela manutenção do diploma.

O primeiro a votar foi o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, relator do caso. Mendes defendeu a extinção da obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão de jornalista.

Na avaliação do presidente do STF, o decreto-lei 972/69, que estabelece que o diploma é necessário para o exercício da profissão de jornalista, não atende aos critérios da Constituição de 1988 para a regulamentação de profissões.

O voto de Mendes foi seguido pelos ministros Carmen Lucia, Eros Grau, Ricardo Lewandowski, Ayres Britto, Cezar Peluso, Ellen Gracie e Celso Mello. 

Clique aqui e veja o voto na integra


 

Entre em contato

Paulo Morani

Jornalista MTE - 32.999/2011

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Municipio do Rio de Janeiro - Matrícula: 11.092/2015

(21) 99324-1904
paulomorani@paulomorani.com.br